Skip links
CancerThera - Equipe - Carmen Silvia Passos Lima

Pesquisadora Principal

Hematologia, Oncologia Clínica, Universidade Estadual de Campinas. COMITÊ EXECUTIVO - DIRETORA DE INOVAÇÃO do CancerThera.

Carmen Silvia Passos Lima

Linhas de Pesquisa

Identificação de anormalidades genéticas em câncer

Os pesquisadores do grupo têm como objetivo identificar anormalidades genéticas adquiridas, como translocações, perdas e ganhos cromossômicos, mutações, deleções e amplificações de genes, em tumores e avaliar suas implicações em vias de sinalização celular relevantes para o desenvolvimento tumoral. Os resultados desses estudos contribuem para a elucidação da carcinogênese de diversos tipos de tumores, apontam alvos para a descoberta de novas terapêuticas e desempenham papel crucial para identificar fatores prognósticos e fatores prognósticos independentes em pacientes com tumores.

Além disso, os pesquisadores do grupo também têm como objetivo identificar anormalidades genéticas herdadas, como variantes genéticas de nucleotídeo único e variações no número de cópias de genes, com papéis significativos na origem e manifestações clínicas dos tumores, bem como no prognóstico de pacientes com os tumores. Isso permite identificar indivíduos saudáveis com alto risco de desenvolver tumores, que podem se beneficiar de medidas adicionais para a prevenção e o diagnóstico precoce, assim como indivíduos com tumores agressivos, que podem requerer terapêuticas diferenciadas.

Para identificar anormalidades genéticas em câncer, os pesquisadores do grupo empregam uma variedade de técnicas de avaliação genética, tais como citogenética convencional e automatizada, hibridização in situ com fluorescência (FISH), reação em cadeia da polimerase (PCR), PCR de transcrição reversa (RT-PCR), PCR quantitativa (qPCR), Western blotting, sequenciamento genômico, culturas primárias de células e culturas de linhagens celulares, clonagem celular, CRISPR/Cas9, ensaios do gene repórter da luciferase, citometria de fluxo (ensaios de apoptose, ciclo celular e proliferação celular), migração celular, microarranjos de DNA, entre outros. Avaliações histológicas e imuno-histoquímicas em fragmentos de tumor individuais e em arranjos teciduais (tissue microarrays) estão também incluídas em nossos projetos de pesquisa.

Além disso, nossos pesquisadores têm acesso a bancos de dados nacionais e internacionais para a análise de dados genéticos, o que amplia suas habilidades em investigações genéticas.

Câncer

Mutações genéticas

Variantes genéticas

Farmacogenômica e desenvolvimento de novos fármacos

Identificamos anormalidades genéticas adquiridas em vias de sinalização relevantes em tumores, que servem como alvos potenciais para o desenvolvimento de novas terapias em câncer. Também identificamos anormalidades genéticas herdadas (variantes genéticas) em vias do metabolismo de quimioterápicos e seus impactos funcionais. Vale destacar, nesta linha, as avaliações conduzidas por nossos pesquisadores sobre variantes genéticas que afetam o metabolismo da cisplatina (detoxificação do agente, reparo de lesões no DNA por ela induzidas e apoptose de células por ela lesadas), um quimioterápico de fundamental importância no tratamento de pacientes com tumores sólidos. Os resultados desses estudos contribuem para a seleção de pacientes com menor resposta terapêutica ao agente e/ou com maior toxicidade ao tratamento, que merecem receber doses diferenciadas ou uso de quimioterápicos que não os usuais. Para avaliar a farmacogenômica de quimioterápicos, os pesquisadores do grupo utilizam uma variedade de técnicas laboratoriais, como a reação em cadeia da polimerase (PCR), PCR de transcrição reversa (RT-PCR), PCR quantitativa (qPCR), Western blotting, sequenciamento genômico, culturas primárias de células e culturas de linhagens celulares, obtenção de células tumorais resistentes à terapia padrão, clonagem celular, CRISPR/Cas9, ensaios do gene repórter da luciferase, citometria de fluxo (ensaios de apoptose, ciclo celular, proliferação), migração celular, microarranjos de DNA, entre outros. Mais uma vez, as habilidades dos pesquisadores no acesso a bancos de dados genéticos nacionais e internacionais e na análise de dados genéticos são de fundamental importância nessa linha de pesquisa.

Nossos pesquisadores também se dedicam à descoberta de novos fármacos e novas formas de administração de fármacos em Oncologia. Merecem destaque, no momento, as avaliações dos efeitos terapêuticos e tóxicos do complexo de prata com nimesulida (Ag-NMS) em modelo “in vitro” em carcinoma de células escamosas e modelo “in vivo” em administração tópica (membrana de celulose bacteriana) no carcinoma de células escamosas de pele. Os projetos em desenvolvimento visam a avaliação pré-clínica de complexos metálicos como novos quimioterápicos e de metaloradiofarmacos como novos agentes teranósticos em tumores. Em especial para o carcinoma de células escamosas de pele, as pesquisas incluem a avaliação da administração de metalofarmacos em membranas de liberação sustentada de agentes, moduladores de permeação transdérmica, como os monoterpenos carvona e limoneno, e formulações baseadas em micro ou nanoestruturas poliméricas, visando reduzir sequelas da cirurgia.

Para a descoberta de novos fármacos e seus mecanismos de ação, os pesquisadores do grupo utilizam inúmeras técnicas laboratoriais em linhagens de células tumorais e não tumorais, incluindo a obtenção de sub-clones resistentes a terapia padrão. Esses modelos permitem avaliar o efeito de novos fármacos sobre ciclo celular, proliferação e migração, além dos diversos aspectos envolvidos na indução de morte celular regulada. Ainda, esses modelos possibilitam estudos do efeito da combinação de diferentes moléculas visando aumentar a sua eficiência em menores concentrações. Para avaliações iniciais de farmacocinética, como a permeação por membranas, o emprego da célula de Franz, permite selecionar formulações que facilitem a permeação cutânea.

Uma vez selecionadas as melhores substâncias em modelo “in vitro”, as avaliações em modelos animais permitem confirmar os parâmetros de eficácia, toxicidade e biodistribuição dos potenciais novos fármacos. As atividades dos novos agentes sobre a modulação de genes envolvidos em diferentes vias de sinalização celular também são avaliadas por pesquisadores do nosso grupo em modelos “in vitro” e “in vivo”, utilizando técnicas de avaliações genéticas direcionadas à alvos específicos (RT-PCR, qPCR, western blotting, imuno-histoquímica) e avaliações genéticas amplas e não direcionadas (NCounter, NanoString).

Câncer

Farmacogenômica

Metaloradiofármacos

Estudos clínicos em Oncologia

Inúmeros estudos clínicos são conduzidos por pesquisadores do grupo para identificar fatores prognósticos em pacientes com câncer tratados de forma convencional. Outros estudos visam verificar a resposta e toxicidade à quimioterápicos ou quimioterápicos associados a outros procedimentos terapêuticos, como o transplante de medula óssea. Também conduzimos estudos clínicos com novos fármacos e novas formas de administração de fármacos a pacientes com câncer. Merece destaque, no momento, o estudo que visa avaliar a eficácia e a toxicidade da administração tópica de Ag-NMS a pacientes com carcinoma de células escamosas de pele.

O uso de agentes de imagem, como o antígeno de membrana prostática específica (PSMA) e a proteína ativadora de fibroblastos (FAP), em tomografia por emissão de pósitrons (PET-CT) em estudos com pacientes com tumores diversos são também conduzidos por pesquisadores do grupo. Avaliações do PSMA em PET-CT em pacientes com carcinoma de células escamosas localmente avançado, recidivado ou metastático de cabeça e pescoço, melanoma metastático e glioblastoma residual ou recidivado estão em andamento e visam verificar se ocorre captação do agente pelos tumores e se o PSMA pode ser modificado e usado como agente teranóstico em portadores dos tumores. Outros de agentes de imagem estão em avaliação para novos projetos.

Câncer

Terapêutica

Prognóstico

Produção Científica
  1. Houde C, Song L, Barton K, Godwin J, Nand S, Alkan S, Smadja NV, Avet-Loiseau H, Lima CSP, Miele L, Coignet LJA. Over-expression of the NOTCH Ligand JAG2 in Malignant Plasma Cells from Multiple Myeloma Patients and Cell Lines. Blood. 2004;104(12):3697-3704. https://doi:10.1182/blood-2003-12-4114
  2. Hollanda LM, Lima CSP, Cunha AF, Albuquerque DM, Vassallo J, Ozelo MC, Joazeiro PP, Saad STO, Costa FF. An Inherited Mutation Leading to the Production of Only the Short Isoform of GATA-1 is Associated with an Impaired Erythropoiesis. Nature Genetics. 2006;38:807-812. https://doi:10.1038/ng1825
  3. Garza MA, Moore GG, Ahn YO, Bost J, Budai B, Canzian F, Chen K, Keku T, Lima CSP, Le Marchand L, Matsuo K, Plaschke J, Pufulete M, Thomas SB, Toffoli G, Wolf CR, Little J, Taioli E. Meta-and Pooled Analyses of the MTHFR C677T Polymorphism and Colorretal Cancer: A HuGE-GSEC Review. Am J Epidemiol. 2009;170:1207-1221. https://doi:10.1093/aje/kwp275
  4. Maiolino A, Hungria V, Miranda ECM, Rego E, Lorand-Metze I, Lima CSP, Renault IZ, Chiattone CS, Nucci M, Souza CA. Thalidomide plus Dexamethasone as a Maintenance Therapy After Autologous Hematopoietic Stem Cell Transplantation Improves Progression-Free Survival in Multiple Myeloma. Am J Hematol. 2012;87:948-952. https://doi:10.1002/ajh.23274
  5. Nogueira GAS, Lourenço GJ, Oliveira CBM, Marson FAL, Lopes-Aguiar L, Costa EFD, Lima TRP, Liutti VT, Leal F, Santos VCA, Rinck-Junior JA, Lima CSP. Association Between Genetic Polymorphisms in DNA Mismatch Repair-related Genes with Risk and Prognosis of Head and Neck Squamous Cell Carcinoma. Int J Cancer. 2015;137:810-818. https://doi:10.1002/ijc.29435
  6. Gomez, GVB; Rinck-Junior, JA; Oliveira, C; Silva, DHL; Mamoni, R; Lourenço, GJ; Moraes, AM; Lima, CSP. Genetic Polymorphisms on PDCD1 Gene, Regulator of T Lymphocyte Activity, in Cutaneous Melanoma Risk and Prognosis. Pigment Cell Melanoma Res. 2018;31:308-317. https://doi:10.1111/pcmr.12665
  7. Pincinato EC, Costa EFD, Lopes-Aguiar L, Nogueira GAS, Lima TRP, Visacri MB, Costa APL, Lourenço GJ, Calonga L, Mariano FV, Altemani AMAM, Camillo CMC, Chone CT, Ramos CD, Altemani JMC, Moriel P, Lima CSP. GSTM1, GSTT1 and GSTP1 Ile105Val Polymorphisms in Outcomes of Head and Neck Squamous Cell Carcinoma Patients Treated with Cisplatin Chemoradiation. Sci Rep. 2019;27(9):9312. https://doi:1038/s41598-019-45808-6
  8. Santos M, Silva LFO, Kohler H, Curioni O, Vilela R, Fang M, Lima, CSP, Gomes JPP, Chaves A, Resende B, Trindade K, Collares M, Obs F, Brollo J, Cavalieri R, Ferreira E, Brust L, Rabello D, Kowalsky LP, Domenge C. Health-Related Quality of Life Outcomes in Head and Neck Cancer: Results From a Prospective, Real Word Data Study with Brazilian Patients Treated with IMRT, Conformal and Conventional Radiation Techniques. Int J Radiat Oncol Biol Phys. 2021;109(2):485-494. https://doi: 10.1016/j.ijrobp.2020.09.044
  9. Candido TZ, de Paiva REF, Figueiredo MC, Coser LO, Frajácomo SCL, Cardinalli IA, Lustri WR, Carvalho JE, Ruiz ALTG, Corbi PP, Lima CSP. Silver Nimesulide Complex in Bacterial Cellulose Membrane as Innovative Agent for Topical Administration in Skin Squamous Cell Carcinoma. 2022;14(2):462-480. https://doi.org/10.3390/pharmaceutics14020462
  10. Macedo LT, Costa EFD, Carvalho BF, Lourenco GJ, Calonga L, Castilho AM, Chone CT, Lima CSP. Association Between Genetic Variants and Severity of Cisplatin-Induced Ototoxicity in Locally Advanced Head and Neck Squamous Cell Carcinoma: A Prospective Cohort Study. 2023;15:1759. https://doi.org/10.3390/cancers15061759
  1. Título: "Processo de Obtenção dos Dispositivos de CB-AG-NMS e CB-AG-PABA, Dispositivos de CB-AG-NMS e CB-AG-PABA e Uso dos Dispositivos CB-AG-NMS e CB-AG-PABA". 2019. Brasil. Patente: Privilégio de Inovação. Número do registro: BR10201902237. Instituição de registro: INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Depósito: 24/10/2019.
  2. Título: "Aparelho para Terapia Muscular Respiratória". 2020. Brasil. Patente: Privilégio de Inovação. Número do registro: BR2020200264783. Instituição de registro: INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Depósito: 22/12/2020.

Professores

  • Dra. Carmen Silvia Passos Lima
  • Dr. José Vassallo

Equipe

  • Gustavo Jacob Lourenço, PhD – Profissão: Biólogo
  • Ligia Traldi Macedo – Profissão: Médica Oncologista
  • Guilherme Rossi de Assis Mendonça – Profissão: Médico Patologista

Alunos

  • Daniele Daiane Afonso – Doutorado
  • Diego Machado – Mestrado
  • Hádila da Silva Veras Sousa – Mestrado
  • Juliana Carron – Pós-Doutorado
  • Lucas Militão – Mestrado

Professores

  • Profa. Dra. Ana Lucia Tasca Gois Ruiz (Laboratório de Fitoquímica, Farmacologia e Toxicologia Experimental, FCF/Unicamp)
  • Prof. Dr. João Ernesto de Carvalho (Laboratório de Fitoquímica, Farmacologia e Toxicologia Experimental, FCF/Unicamp)
Fale com a pesquisadora

Contato

Preencha o formulário abaixo para entrar em contato com a pesquisadora.

Endereço

em breve

Telefone

em breve

E-mail

em breve

Este website utiliza cookies para aprimorar a experiência
Veja nossa Política de Privacidade para saber mais.
CancerThera
Arraste!